quarta-feira, 2 de novembro de 2011

União Ibérica e os Holandeses no Brasil

Professor – Múcio Ramalho Disciplina - História


1ª Série do Ensino Médio Turmas – Vespertino



DECADÊNCIA DA ECONOMIA AÇUCAREIRA e a Invasão Européia a América



1 - União Ibérica (1580 – 1640)

• Tratado de Tomar – instaurava a União Ibérica sob o comando de Filipe II da Espanha. Portugal, o herdei, o comprei e o conquistei.

• Morre Dom Sebastião – rei de Portugal – Batalha de alcacer Quirbir (África) Sebastianismo.

• Desobediência ao limite do Tratado de Tordesilhas

• Interesses nas riquezas do Peru e Nova Espanha (México)

• Inimigos da Espanha – Holanda

• Invasão holandesa à Bahia e Pernambuco

• 1621 – divisão da colônia portuguesa em duas unidades administrativas: Estado do Maranhão, com sede em São Luís e o Estado do Brasil com sede em Salvador. (não obteve resultado).



2 – Holandeses no Brasil

• Países Baixos (Holanda e Bélgica) sob o domínio Espanhol – buscavam sua independência.

• A Holanda ajudava a abastecer os cofres espanhóis – a Espanha não queria perder esse lucro.

• Açúcar – A Holanda controlavam o refino, transporte e a distribuição do açúcar brasileiro, sendo assim, com a União Ibérica a Holanda ficaria sufocada pela Espanha.

• Holandeses invadem a Bahia, aprisionando o governador Diogo de Mendonça Furtado. Devido a propaganda Católica contra os Calvinistas, sob a liderança do bispo D. Marcos Teixeira, senhores, escravos e índios lutavam contra o “invasor infiel”.

• Holanda constitui a Companhia das índias Orientais e Companhia das Índias Ocidentais (WIC).

• 1630 os Holandeses conquistam Olinda e Recife. Nova resistência no Arraial de Bom Jesus. Com ajuda de Domingos Fernandes Calabar (mestiço- conhecedor da região) o Arraial foi vencido.

• Maurício de Nassau e os acordos com os Senhores de Engenho (empréstimos para comprar escravos e reaparelhar os engenhos, restabeleceu o clima de tolerância religiosa)

• Recife (Cidade Maurícia) foi urbanizada, cuidou-se de sua pavimentação, construíram-se pontes, palácios, jardins e obras sanitárias.

• Cultura: foi estimulada a vinda para o Brasil de astrônomos, estudiosos da flora e da fauna, médicos e artistas como Frans Post e Albert Eckout.



3 - Restauração em Portugal – Insurreição Pernambucana.

• 1640 - fim da União Ibérica. D. João IV manifestou a intenção de recuperar o Nordeste.

• D. João IV busca apoio de outras nações inimigas da Espanha, assinando tratados de comércio coma Inglaterra e chegando a conceder a mão de sua filha, Catarina, ao rei da Inglaterra, Carlos II.

• A Holanda reforçou a exploração do Nordeste. Os impostos foram aumentados, os fretes mais caros e os empréstimos passaram a ser cobrados seguidos do confisco.

• Nassau foi contra as medidas e foi substituído pela Companhia Ocidental.

• Senhores de Engenho conclama as camadas oprimidas para lutar contra os Holandeses: André Vidal de Negreiros, João Fernandes Vieira e o negro Filipe Camarão. As Batalhas mais importantes foram as de GUARARAPES e CAMPINA de TABORDA, expulsando os holandeses do Brasil.

• A Holanda aceitou a rendição após receber o Ceilão e as Ilhas Molucas, além de pagar uma indenização de 4 milhões de cruzados.



4 – Conseqüências da Expulsão Holandesa

• Os holandeses foram para as Antilhas e produziram um açúcar de melhor qualidade e mais barato

• A distribuição já estava sob seu domínio

• A Prússia ganha parte do mercado europeu com o açúcar de beterraba

• Brasil sofre a decadência do açúcar

• Novo ciclo econômico nasce no Brasil

• Portugal cai nas mãos dos ingleses.



5 – Decadência do açúcar após a expulsão dos holandeses:

• Aumento de impostos

• Fretes marítimos caros

• Cobrança de empréstimos e confisco de propriedade

• Insurreição Pernambucana (13 06.1645) – Sentimento Nativista

João Fernandes Vieira – rico comerciante e senhor

Filipe Camarão – comandou grupos indígenas

Henrique Dias – liderou os escravos

Vidal de Negreiros – liderou os colonos.

• Holandeses nas Antilhas : açúcar de melhor qualidade, fácil fornecimento na Europa, decadência da indústria açucareira no Brasil.



6 – A reorganização administrativa e a maior opressão metropolitana

• Portugal perdeu seu império oriental e alguns entrepostos africanos

• Gastos com a guerra de restauração contra a Espanha

• Concessões no comércio colonial para a Inglaterra desembocando em Methuen

• Conselho Ultramarino – superintender toda a atividade colonial

• Aumento do poder dos governadores e nomeação dos Juízes de Fora

• Criação das Companhias Monopolistas : Cia. Geral do Comércio do Brasil

• Cia do Comércio do Maranhão – Revolta de Beckman



7- Atividades Complementares e a Ocupação do Nordeste

• Cultivo da mandioca ( base da alimentação especialmente dos escravos a fim de evitar crises alimentares que poderia afetar o projeto colonizador);

• Fumo ( produzido na Bahia, servia como moeda de troca pelos escravos, chegou a ser a segunda maior receita de exportação, dedicavam-se a ela os segmentos menos poderosos);

• Aguardente e Rapadura – também muito importante na troca por escravos realizada em São Vicente);

• Algodão – Maranhão. Estava ligado às confecções de roupas de escravos, mas logo ganhou exportação;

• Pecuária – a criação de gado nasceu próximo aos engenhos e serviu para a ocupação do interior das capitanias do Nordeste. Era a força motriz para os engenhos, meio de transporte, alimento e couro usado na confecção de roupas calçados, móveis para os moradores dos engenhos. Criação extensiva ajudou na interiorização do sertão e no sul formou-se grandes fazendas de gado (Currais). A atividade pecuária utilizava principalmente trabalhadores livres, como mestiços. Como pagamento, normalmente recebiam uma CRIA para cada quatro animais criados ao longo de 5 anos. Essa atividade permitia a mobilidade social.

• Drogas do Sertão: Região Amazônica. Produtos como cacau, baunilha, guaraná e ervas aromáticas e medicinais eram administradas pelos jesuítas que utilizavam o conhecimento e a mão-de-obra indígena. Os padres jesuítas foram os fundadores de dezenas de aldeias de catequese.

• O Combate à presença estrangeira, especialmente durante a União Ibérica. As fortificações construídas pelas expedições militares, transformaram-se em importantes cidades da região, como a fortaleza de Filipéia de Nossa Senhora das Neves (João Pessoa), fundada em 1584, na Paraíba. Forte dos Reis Magos (1597), no Rio Grande do Norte (Natal). Criação do Estado do Maranhão e Grão-Pará, em 1621, fazendo Belém a base para repelir as investidas estrangeiras.



8- Bandeirismo

• Procurar riquezas no interior da colônia e apresamento de nativos

• Capitania de São Vicente – Vila de São Paulo

• Apresador – capturar índios

• Prospector – busca de metais

• Missões e Reduções – agrupamentos indígenas comandos pelos jesuítas

• Monções – bandeiras de comércio

• Descoberta de ouro na região de Minas Gerais – Vila Rica (ouro Preto) e Sabará



9 - A Conquista do Sul

• Fundação da Colônia do Sacramento – garantir a exploração no Rio da Prata

• Estâncias – grandes fazendas de gado – Charque

10 - Tratados e Limites

• Tratado de Madri (1750) – Uti Possidetis – Colônia do sacramento ficaria de posse da Espanha e os Sete Povos das Missões a Portugal e a Amazônia e Centro-Oeste.

Obs: Guerra Guaranítica – reação à posse portuguesa à região dos Sete Povos.

• Tratado de Santo Ildefonso (1777) a Espanha obteve a região do Sacramento e de Sete Povos e devolveu parte do Rio Grande do Sul e a Ilha de Santa Catarina a Portugal.

• Tratado de Badajoz (1801) Espanha ficava com a Colônia do Sacramento e Portugal os Sete Povos.



11 - Depois da União ibérica

- 1640 fim da União Ibérica

- decadência econômica de Portugal - Holanda controla o Oriente, possessões africanas e o açúcar na América

- Portugal chama a Inglaterra para aliado (Tratado de Methuen )

- 1642 – Conselho Ultramarino – órgão centralizador, destinado a administrar todas as atividades coloniais

- nomeação dos juízes de fora – magistrados designados pela coroa para integrar e presidir as câmaras, limitando as funções dos juízes ordinários, eleitos pela elite local.

- Companhia Geral do Comércio do Comércio do Brasil e a Companhia de Comércio do estado do Maranhão – monopólio de todo o comércio

- Revolta de Beckman - 1684 – preços exorbitantes pelos importados, e o não fornecimento de 500 escravos anuais.

- Guerra dos Mascates – 1710 (11) – Descontentamento dos barões do açúcar de Olinda em relação à elevação de Recife à condição de vila.

- Pecuária : Nordeste tinha como finalidade fornecer carne e força motriz (moendas) – crescimento territorial

- Bandeirismo : apresador (índios), prospector (metais) e Sertanismo de Contrato, monções (abastecimento)

- Missões Jesuíticas (catequização, monopólio da educação, drogas do sertão, padroado redízima e expulsão pelo Marquês de Pombal)

- Uti Possidets – domínio português de terras espanholas

- O Negro e os Quilombos



12 - CICLO DA MINERAÇÃO – séc. XVII

- Serra de Itaberaba

- Aumento populacional na colônia (de 300 mil chegou a 2.500 000 habitantes )

- Sociedade urbana

- Intenso comércio entorno da região mineradora (carne, muares, escravos 0

- Intercâmbio cultural (poetas, escritores, advogados e profissionais liberais )

- Guerra dos emboabas ( Sabará – Paulistas contra forasteiros); Goiás e Mato Grosso

- Intendências das Minas e o regimento das minas de ouro (datas, impostos)

- Ouro de aluvião ou as lavras

- Quinto e a capitação

- Casas de fundição

- Revolta em Vila Rica ou Filipe dos Santos (casas de fundição e as ordenanças)

- 1770 a decadência do ouro – Derrama

- Distrito Diamantino ( Arraial do Tijuco)

                                                            América Inglesa
  • EUA
  • 13 famílias fugindo dos conflitos políticos e religiosos
  • Norte - Povoamento
  • Sul - Exploração -Plantation: Latifúndio, Monocultura, Mão-de-obra escrava visando a exportação
  • Comércio Triangular da Nova Inglaterra: Manufaturados, melaço das Antilhas e Escravos da África.
  • Calvinistas: Quaker - O Estudo era uma forma de aperfeiçoar a capacidade de trabalhar.
                                                            América Espanhola
  • Vice-reino - maiores terras
  • Capitanias gerais - cada cidade tinha seu centro administrativo
  • Sociedade: Vice-reis : nobres; Chapetones (peninsulares) espanhóis e Criollos filhos de espanhóis nascidos na América (luta pela independência)
  • Cabildos: correspondem às Câmaras Municipais
  • Exploração - Ouro, Prata e Gêneros agrícolas: Mita e encomienda
  • Missões ou Reduções - aldeiamento de índios - Jesuítas
  • Povos explorados: Incas (Peru); Astecas (México) e Maias (México para Am. Central)
  • Fatores de dominação: Religioso; Político, Militar, Doenças...
  • Frei Bartolomé de Las Casas - Denúncias contra as atrocidades.
  • PIZARRO: analfabeto - conquistou o Peru (1533) - Cuzco - traiu, sequestrou e assassinou ATAHUALPA.
  • CORTEZ: Cursou Universidade - em 1521 tomou TENOCHTITLAN - capital asteca - México - Atiraram crianças aos cães famintos.
  • CRUELDADE tem haver com formação cognitiva?
  • OBS: a Leitura do livro e as aulas expositivas são imprescindíveis para entender os tópicos.
EXERCÍCIO PARA FORÇAR A LEITURA
1) Explique o termo União Ibérica
2) aponte as Consequências da "expulsão" holandesa do Brasil
3) Explique o comércio triangular da Nova Inglaterra e sua relação com o processo de independência dos EUA.
4) Diferencia colônias de povoamento de colônia de exploração.
5) Explique a insurreição pernambucana de 1645.
6) Cite os povos que foram explorados no processo de colonização da América pelos espanhóis.

Um comentário:

Anônimo disse...

Muito bom seu blog professor. Me ajudou pacas.